Diário de um Ladrão

Que o meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à andaluza…
A um morto nada se recusa,
Eu quero por força ir de burro.
— Mário de Sá-Carneiro

“Polaróide”

Edição de 100 exemplares.
A capa (em tipografia tradicional)  foi impressa no Homem do Saco.
O livro está disponível nas livrarias Letra Livre, Pó dos Livros e Sr. Teste, em Lisboa.
Para pedidos, basta enviar um email para a editora: edlinguamorta@gmail.com

 

 

12316112_10207083040668805_1165783907402050245_n

Posted on 1/12/2015